Projetos Nacionais e Internacionais

Os projetos ambientais inovadores buscam promover uma revolução nos mais diversos setores onde são aplicados. Seu maior foco é transformar o que vinha sendo problema em uma excelente solução. Essas ideias envolvem, muitas vezes, a boa vontade e a ajuda de muitos voluntários que buscam novos rumos e uma melhora na qualidade de vida da população. Quando um projeto dá certo, aumenta a motivação para que outros floresçam.

Abaixo seguem algumas iniciativas inovadoras que deram certo:

Decoração com garrafas PET
A empresa gaúcha Lamiecco, focada na produção de revestimentos ecológicosvoltados aos setores moveleiro e de construção civil, criou um projeto para produzir laminados decorativos a partir de garrafas PET.
O processo ocorre a partir de alta tecnologia, já que há uma grande dificuldade de separar os diversos polímeros que constituem a garrafa PET. Trata-se, portanto, de um processo de reciclagem caro e árduo. Mas não impossível para a empresa, que usa os laminados decorativos para revestimento em projetos de marcenaria, indústrias moveleiras, arquitetura e promocional.

Infraestrutura urbana sustentável
Esse é considerado um dos melhores projetos ambientais do mundo, e foi realizado na cidade de Búzios, Rio de Janeiro. Trata-se do projeto Cidade Inteligente Búzios, que busca a sustentabilidade na produção e no consumo de energia dentro da infraestrutura urbana. Por meio de uma rede automatizada, tornou-se possível promover um gerenciamento inteligente de energia através de medidor eletrônico, capaz de mensurar o consumo com precisão e trocar informações técnica e comerciais com o cliente.
Assim, a população passa a ter o conhecimento de seu gasto, podendo se programar para consumir energia nos horários de tarifa mais baratas, acarretando uma economia de até 30%. O conceito de cidade Inteligente faz parte da revolução de projetos que cresce cada vez mais no século XXI.
 

Edukatu: plataforma de aprendizagem do consumo consciente
Uma plataforma tecnológica de aprendizagem sobre consumo consciente foi desenvolvida pelo Instituo Akatu, uma organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela mobilização da sociedade para esse modo de consumo. A Edukatu é direcionada para alunos e professores do ensino fundamental e incentiva a troca de conhecimentos sobre o assunto através de conteúdo e jogos. O aluno é desafiado a solucionar problemas relativos ao tema, discuti-los e promover ações práticas na própria escola e nas comunidades que são impactadas pelo projeto.

 

Uso racional de energia e água em edificações
Trata-se de um projeto arquitetônico realizado na construção da nova sede administrativa do Parque Nacional das Emas, em Goiás. Dentre os conceitos básicos, destacam-se o aproveitamento da iluminação e ventilação natural, cores das paredes harmonizadas com o ambiente, mínimo impacto no ambiente externo da construção e a utilização de fossa ecológica para gerar menores impactos futuros no ambiente. A fossa ecológica baseou-se no princípio da evaporação da água existente nos resíduos líquidos provenientes do uso na cozinha e sanitários.
 

Colégio reduz consumo de energia
O Colégio Estadual Erich Walter Heine, em Santa Cruz, Rio de Janeiro, gera uma redução de até 40% no consumo de energia através de mais de 50 medidas adotadas para maior eficiência energética e melhor aproveitamento dos recursos naturais. O colégio foi a primeira escola da América Latina a receber a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), oferecida pela Green Building Council, por conta de sua construção sustentável.
A escola foi projetada em forma de catavento, de maneira que o ar circule por todo o espaço. O teto, que favorece a iluminação natural, conta com áreas abertas que fazem com que o ar quente suba e se dissipe como em uma chaminé.
O telhado verde é usado para aprendizagem, e conta com uma vegetação especial para diminuir a absorção de calor e reabsorver a água da chuva. Além disso, destacam-se no prédio o uso de materiais ecologicamente corretos, utilização de lâmpadas LED, painéis solares, sistema de aproveitamento de água de chuva, coleta de lixo seletivo e espaço de reciclagem.

Bioconstrução na Reserva Biológica do Lago Piratuba
A Base Administrativa da Reserva Biológica do Lago Piratuba, no Amapá, foi construída com tecnologias que utilizam a terra como principal matéria prima. Os motivos? Sua abundância, baixo impacto ambiental e a potencialidade de gerar autonomia para as pessoas. Dentre as tecnologias de construção com terra, foram utilizadas fundações de solocimento, paredes de taipa ensacada, fechamentos com painéis de serragem e solocimento e reboco natural.
Outras características da construção são: estrutura de madeira, telhado de cavaco, sistema de saneamento ecológico com sanitários secos, fossa de bananeiras e cisterna de ferrocimento para armazenamento da água da chuva. Assim, o local tornou-se a primeira edificação no Estado a utilizar tais tecnologias.

 

https://www.rnsambiental.com.br/single-post/projetos-ambientais-inovadores-que-deram-certo