Eficiência Energética

Para entendermos como as ações nessa área são imprescindíveis para mitigarmos o uso dos recursos naturais, precisamos saber o que significa. Eficiência energética consiste em obter o melhor desempenho na produção de um serviço com o menor gasto de energia.  Por definição, a eficiência energética consiste da relação entre a quantidade de energia empregada em uma atividade e aquela disponibilizada para sua realização.  É importante ressaltar que se eficiência é fazer mais com menos, ao apagar a luz, fechar a geladeira, ou tomar banho frio, na verdade, você está poupando energia. Embora o resultado final pareça o mesmo (redução da conta), a confusão entre os conceitos deve ser desfeita. Afinal, uma lâmpada apagada não é mais eficiente que uma acesa.

Agora, se avaliarmos a lâmpada LED, que pode apresentar redução de até 90% do consumo, com o mesmo nível de iluminação de lâmpadas incandescentes, temos um exemplo do que significa esta atitude. No entanto, este conceito não está associado apenas à eletricidade.

Anualmente, estima-se que 10% da energia gerada no Brasil seja desperdiçada pelos aparelhos que utilizamos na forma de calor, o Efeito Joule, e não realizam a sua função original. Aparentemente, estaríamos isentos desta perda, no entanto, veja estes questionamentos, “você se importou em pagar um pouco mais naquela eletrodoméstico que contém um selo PROCEL, garantindo que o produto consume menos energia?”, ou ainda, “na hora de comprar seu carro verificou se ele tinha o selo CONPET, para que estivesse economizando no futuro?”

Outros fatores mais sutis explicam muitos desperdícios. Um construtor barateia a construção não isolando o "boiler" e os canos de água quente, pois quem pagará pelo desperdício será o consumidor. Vale notar que esses efeitos se multiplicam à medida que a energia vai migrando por todos os setores da economia.

NA RESIDÊNCIA

Confira os gastos de alguns eletrodomésticos por mês:

Cooktop (68,55 kWh por mês)

Geladeira de duas portas frost-free (56,88 kWh por mês)

Lavadora de louças (30,86 kWh por mês)

Geladeira de uma porta (25,2 kWh por mês)

Forno elétrico (15 kWh por mês)

Micro-ondas (13,98 kWh por mês)

Ferro elétrico a vapor (7,2 kWh por mês)

Lavadora de roupas com tampa superior, de 10,1 a 16 kg  (de 0,15 a 0,47 kWh por ciclo de lavagem)

Lavadora de roupas com frontal, de 7 a 14 kg (de 0,13 a 0,38 kWh por ciclo de lavagem)

Tanquinho, de 5,1 a 10 kg (de 0,02 a 0,15 kWh por ciclo de lavagem)

O Selo Procel e as classificações

O Selo Procel de Economia de Energia, ou simplesmente Selo Procel, tem como finalidade ser uma ferramenta simples e eficaz que permite ao consumidor conhecer, entre os equipamentos e eletrodomésticos à disposição no mercado, os mais eficientes e que consomem menos energia. Criado pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica – Procel, programa do Governo Federal executado pela Eletrobrás, o Selo Procel foi instituído por Decreto Presidencial em 8 de dezembro de 1993. 
A partir de então, foram firmadas parcerias junto ao Inmetro, a agentes como associações de fabricantes, pesquisadores de universidades e laboratórios, com o objetivo de estimular a disponibilidade, no mercado brasileiro, de equipamentos cada vez mais eficientes. Para isso, são estabelecidos índices de consumo e desempenho para cada categoria de equipamento. Cada equipamento candidato ao Selo deve ser submetido a ensaios em laboratórios indicados pela Eletrobrás. Apenas os produtos que atingem esses índices são contemplados com o Selo Procel. 
Então, ao adquirir um novo equipamento, procure sempre pelo Selo! Além de contribuir para o consumo sustentável de energia, você também vai economizar na conta de luz.

Procel Edifica

O Programa Nacional de Eficiência Energética em Edificações – PROCEL EDIFICA foi instituído em 2003 pela ELETROBRAS/PROCEL e atua de forma conjunta com o Ministérios de Minas e Energia, o Ministério das Cidades, as universidades, os centros de pesquisa e entidades das áreas governamental, tecnológica, econômica e de desenvolvimento, além do setor da construção civil.
O PROCEL promove o uso racional da energia elétrica em edificações desde sua fundação, sendo que, com a criação do PROCEL EDIFICA, as ações foram ampliadas e organizadas com o objetivo de incentivar a conservação e o uso eficiente dos recursos naturais (água, luz, ventilação etc.) nas edificações, reduzindo os desperdícios e os impactos sobre o meio ambiente.
O consumo de energia elétrica nas edificações corresponde a cerca de 45% do consumo faturado no país. Estima-se um potencial de redução deste consumo em 50% para novas edificações e de 30% para aquelas que promoverem reformas que contemplem os conceitos de eficiência energética em edificações.

Confira ações simples que farão diferença na sua conta de energia elétrica:

• Desligue o interruptor de luzes ao sair de um determinado ambiente.

• evite acender a luz durante o dia. Sempre que possível, utilize a iluminação natural abrindo janelas e cortinas.

• Desligue a televisão quando ninguém estiver assistindo. A televisão representa de 5% a 15% do consumo de uma residência.

• Evite ligar torneiras elétricas no verão, quando a água está mais quente.

• Sabemos que a água entra em ebulição, normalmente, a 100°C. Por isso, não adianta deixar o fogo alto ao preparar alimentos, pois a comida não cozinhará mais depressa. Cozinhe sempre em fogo baixo, assim você economizará gás.

• Quando o calor não estiver intenso, use um ventilador de teto ao invés do ar condicionado, pois o ventilador de teto gasta menos energia.

• Use lâmpadas LED, são as mais eficientes e econômicas atualmente.

• Procure comprar eletrodomésticos de baixo consumo energético e que possuam o selo do Procel, sendo a classificação: “A” (muito eficiente) e “E” (pouco eficiente)

• Desligue seus eletrodomésticos. Não deixe seus aparelhos em “standby”, pois as luzinhas vermelhas gastam energia.

• No inverno, regule a temperatura interna da geladeira e do freezer, pois ela não precisa ser tão baixa quanto no verão.

• Desligue a geladeira e o freezer quando viajar e se ausentar de sua casa por tempo prolongado.

• Tome banhos rápidos e dê preferência ao chuveiro, pois um banho de banheira consome mais energia e água que um banho de chuveiro.

• Coloque o chuveiro na posição “verão” quando o tempo estiver quente, pois o consumo de energia elétrica é 30% menor do que na posição “inverno”.

• Pendure a roupa ao invés de usar a secadora.

• Acumule bastante roupa para passar de uma só vez. Evite ligar o ferro várias vezes ao dia.

• Desligue o ferro de passar roupas da tomada quando não estiver em uso, pois sempre há consumo de energia.

• Deixe as roupas mais leves para passar por último, com o ferro já desligado, pois ele ainda estará quente.

• Desligue sempre o computador e o monitor quando for ficar muito tempo sem utilizá-lo.

• Quando precisar substituir seu velho monitor por um novo, dê preferência a um monitor de LED, que é mais econômico; além de ocupar menos espaço.

• Lembre-se sempre de desligar o ar condicionado ao se ausentar por mais de uma hora do local.

• Ao usar o ar condicionado, deixe sempre as portas e as janelas fechadas.

• Procure sempre deixar o filtro de seu ar condicionado limpo, pois quando ele está sujo representa muito mais gás carbônico na atmosfera.

• Retire o carregador do celular da tomada quando não estiver sendo usado, pois ele continua consumindo energia só por estar na tomada.

• Procure pintar os cômodos de sua casa com cores claras, que refletem a luz do sol e mantêm o ambiente claro por mais tempo.

• Evite utilizar papel alumínio, pois a transformação da bauxita em alumínio desperdiça muita energia. Além disso, a sua extração destrói grandes extensões de florestas.

• Escolha as frutas e os legumes da estação, que são mais saborosos e sua produção necessita de menos energia (combustível) com o transporte.

• Evite deixar aquecedores ligados por muito tempo.

• Use, quando possível, aparelhos que não precisem de pilhas. Use aparelhos movidos à energia solar.

• Use mais a escada ao invés do elevador. Assim, você faz um bom exercício e economiza energia.

• Abra a geladeira o menor número possível de vezes, cada vez que ela é aberta, perde ar frio e é invadida pelo ar quente de fora, o que lhe exige um esforço extra para refazer a temperatura anterior.

• Verifique o estado da borracha que veda o ar da sua geladeira. Falhas e folgas nessa borracha causam aumento do consumo de energia.